Onde estudar fora do país

Vários brasileiros estão atravessando o extensão e procurando vagas de pesquisa e trabalho em terras Lusitanas. Uma das causas que explicam este crescimento na porção de estudantes brasileiros que decidem estudar em Portugal é o algarismo primeiro quarto de Instituições de Treino Superior que já aceitam o Exame Nacional do Treino Médio (ENEM) como uma maneira de admissão.

Se você é um destes jovens que está sonhando em estudar em Portugal porém possui mil e uma dúvidas sobre o assunto, não se preocupe!

Neste post nós abordamos os principais tópicos relativos ao treino superior em terras portuguesas. Não deixe de ler!

Ciclo de Estudos e instituições de ensino

Principalmente, o treino superior português segue as código da Casamento Europeia (U. E.). Dessa forma, os ciclos de pesquisas estão divididos em 3:

  • 1º ciclo ou Licença (03 anos);
  • 2º ciclo ou Mestrado (02 anos);
  • 3º ciclo ou Phd (03 anos).

Fora essa divisão comum mencionada acima, há similarmente o Sisu Integralizado, que é uma formação mais duradoura e une em um apenas curso 2 ciclos diferenciados. Porém essa escolha apenas está disponível para cursos específicos, por exemplo Medicina e Odontologia.

 

estudar fora

As instituições de treino no país dividem-se em Universidades e Politécnicos. Ambas as instituições são capazes de ser públicas ou privadas.

O sistema de regalia de princípios entre Brasil e Portugal é muito diferente. Em Portugal, os princípios das notas vão de 0 a 20. Essa informação é fundamental visto que o histórico colegial brasileiro terá de ser credenciado ao sistema de princípios português. Para isso, você terá de requisitar a proporção para o treino superior.

Outra diferença entre estudar em Portugal ou no Brasil é a discórdia do ano letivo. Em terras lusitanas, o ano letivo possui início no meio de Setembro. É isso mesmo, os semestres são divididos dessa maneira em Portugal:

  • 1o. Período: de Setembro a Janeiro;
  • 2o. Período: de Fevereiro a Junho.

Como o 1o. período letivo porém universidades portuguesas inicia no mês de Setembro, as inscrições precisam ser feitas entre os meses de Março a Julho. Para saber o tempo apurado em que precisa realizar sua notação, você precisa, em primeiro lugar, adotar a(s) escola (ões) que te interessa(m). Cada Faculdade ou Politécnico possui seu próprio tabela.

Formas de ingresso nas Universidades

Como já mencionamos acima, uma das benefícios para que pessoas pretende processar-se a meia-tinta em uma faculdade portuguesa é a eventualidade de admissão por meio do ENEM. Nos dias de hoje, o exame é reconhecido por 18 (dezoito) instituições portuguesas.

Já para os cursos de pós-graduação, é necessário afirmar juntamente à (s) escola (ões) que você escolheu qual é o processamento de admissão para o seu curso. A maior parte das universidades permite que o candidato se inscreva e envie a papelada essencial pela internet.

Uma dificuldade que será capaz de manifestar-se é relacionada ao pagamento da tarifa de notação uma vez que algumas instituições utilizam o pagamento via Multibanco o que dificulta o processamento para que pessoas está no Brasil. Caso isso aconteça com você, entre em contato com a faculdade para experimentar corporificar o pagamento de outra maneira.

A papelada exigida para que pessoas quer estudar em Portugal não é bastante complicada. Em maior parte, as universidades/politécnicos solicitam os seguintes documentos:

  • Declaração de surgimento (atualizada);
  • RG (atualizado e com uma imagem atual );
  • Autorização dentro da utilidade;
  • Histórico (s) colegial (es);
  • Currículo;
  • Certificados e diplomas.

Outra diferença necessário entre estudar no Brasil e em Portugal é o feito de que, em terras lusitanas, todas as universidades são pagas! Isso mesmo, todos os estudantes que ingressam em uma faculdade portuguesa, até mesmo nas públicas, tem que pagar um tarifa denominada Propina. Esta tarifa corresponde à mensalidade nas universidades brasileiras.

Vale enfatizar, similarmente, que alunos estrangeiros ( ou internacionais) pagam um valor de Propina maior que os portugueses. Isso ocorre visto que, no caso dos pessoas portugueses, o governo subsidia uma parte do esforço da tarifa.

Os princípios da Propina são capazes de variegar de escola para escola e similarmente de acordo com o curso. No entanto, de forma maior parte, os princípios cobrados são:

  • Meia-tinta: entre € 4.000 e € 7.000 por ano;
  • Mestrado: entre € 1.037,20 a € 7.000,00 por ano;
  • Phd: entre € 2.500 a € 2.750,00 por ano.

Em alguns casos, o aulista brasileiro pode se valer do Lei da Conformidade para pagar o mesmo valor de propina que um aulista português.